....  

 Home  |  Astronomia  |  Sistema Solar  |  Universo  |  Especiais  |  Diversos

DICIONÁRIO DE ASTRONOMIA

A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z


Pálida (Delta Crucis)

Designação brasileira em virtude de constituir a mais fraca em brilho das quatro principais estrelas da Cruz.

Pan

PanPan é um dos menores satélites de Saturno. Ele foi descoberto por Mark R. Showalter, em 1990, a partir de dados da Voyager 2. Pan tem um raio de aproximadamente 10 km e está localizado dentro do Encke Gap nos anéis de Saturno. Sua órbita está a 133.583 km de Saturno e seu período orbital é de 0,575 dias terrestres.

Pandora

PandoraPandora (SXVII) é um dos menores satélites de Saturno tendo sido descoberto em 1980 por S. A. Collins e D. Carlson a partir de dados da Voyager 1. Ele tem um diâmetro de 84 km e está em órbita a 141.700 km de Saturno, com um período orbital de 0,62 dias terrestres. Pandora é um satélite pastor para a borda mais externa do anel F de Saturno.

parábola

Figura que se forma quando um cone é cortado num determinado ângulo em relação a base. Muitos telescópios astronômicos são equipados com espelhos em forma de parábola, já que este formato faz com que os raios de luz formem um foco simples.

paralaxe

Ângulo sob o qual um observador situado em uma determinada estrela veria um comprimento convencionalmente escolhido em grandeza e em direção, denominado de base. A paralaxe caracteriza a distância do objeto à base. Em geral, os astrônomos empregam como base o raio da órbita terrestre. Esta medida é expressa em segundo de arco. Para medir o afastamento das estrelas os astrônomos utilizam-se do fato de a Terra girar em torno do Sol. A Terra encontra-se, no verão, a 300.000.000 km do ponto em que se encontrava no inverno. Tendo em vista tal fato, os astrônomos passaram a fotografar uma região do céu no inverno e no verão, determinando o deslocamento de uma certa estrela mais próxima em relação às outras mais distantes. Ver paralaxe anual.

paralaxe anual

Mudança aparente, de período anual, da direção de uma estrela, em virtude das sucessivas posições que a Terra ocupa em sua órbita. Tal efeito, que depende da distância da estrela considerada, só é sensível para as estrelas mais próximas. Ele se superpõe à aberração anual que independe dessa distância.

paralaxe dinâmica

Paralaxe de uma estrela binária, deduzida do conhecimento de sua órbita.

paralaxe diurna

Paralaxe de um astro do sistema solar.

paralaxe espectroscópica

Paralaxe de uma estrela, obtida indiretamente com o auxílio do diagrama Hertzprung-Russel.

paralaxe estatística

Paralaxe de uma estrela, deduzida do estudo estatístico do movimento próprio de grande número de estrelas; paralaxe hipotética.

paralaxe fotométrica

Paralaxe de uma estrela, obtida da relação entre as suas magnitudes aparente e absoluta, a primeira das quais observada e a segunda deduzida de outra propriedade da estrela.

paralaxe hipotética

Veja paralaxe estatística.

paralaxe horizontal

Paralaxe quando o astro considerado está no horizonte.

paralaxe secular

Paralaxe de uma estrela, determinada pelo movimento de translação do sistema solar no decorrer de um século.

paralaxe trigonométrica

Paralaxe obtida diretamente pela análise da variação anual da direção de uma estrela, em virtude do movimento orbital da Terra.

parsec

Unidade astronômica de distância equivalente a uma paralaxe anual de um segundo de arco. Um parsec equivale a 3,2616 anos-luz, um quiloparsec equivale a 1.000 parsecs e um megaparsec equivale a 1.000.000 de parsecs.

Pasiphae

Pasiphae (JVIII) é o 15o satélite de Júpiter e foi descoberto, em 1908, por P. Melotte. Sabe-se muito pouco sobre Pasiphae. Ele tem 36 km de diâmetro e sua órbita está a 23.500.000 km de Júpiter e ele dá uma volta completa em torno deste planeta em 735 dias terrestres. Ele realiza um movimento retrógrado em sua órbita, ou seja, ele está orbitando em um sentido oposto ao sentido de rotação de Júpiter.

passagem meridiana

Posição de um astro quando, em seu movimento diurno, cruza o meridiano superior do lugar (passagem meridiana superior) ou o meridiano inferior (passagem meridiana inferior); meridiana.

Peacock (Alpha Pavonis)

O Pavão, designação moderna de origem inglesa.

penumbra

1. Espaço de meia sombra que envolve o cone de sombra de um astro do sistema solar, e de onde só uma parte do disco solar é visível.
2. Parte periférica de mancha solar, cuja estrutura é, aproximadamente, radial.

periastro

Ponto da órbita de um astro em que ele se encontra mais próximo de outro astro, em torno do qual gravita. Aplica-se geralmente ao caso das estrelas binárias.

periélio

Para um corpo em órbita elíptica (em forma de elipse) em torno do Sol, é o ponto da órbita onde um astro tem a maior proximidade do Sol. Oposto de afélio.

perifoco

Apside de uma órbita elíptica, no qual o astro secundário se acha mais próximo do centro de forças.

perigeu

Para um corpo em órbita elíptica (em forma de elipse) em torno da Terra (a Lua ou um satélite artificial, por exemplo), é o ponto da órbita onde um astro tem a maior proximidade da Terra. Oposto de apogeu.

período anomalístico

Veja revolução anomalística.

período axial

Período que leva um objeto celeste para completar uma rotação ao redor do seu eixo.

período de Chandler

Variação polar descoberta, em 1891, pelo astrônomo norte-americano S. Chandler, a qual se realiza num período de 14 meses, ou 427 dias.

período draconítico

Veja revolução draconítica.

período lunissolar

Ciclo que reconduz, depois de um certo número de anos, a lua nova ao mesmo dia do mês, e cada dia do mês ao mesmo dia da semana.

período nódico

Veja revolução draconítica.

período orbital

Intervalo de tempo em que um astro completa uma revolução na sua órbita.

período sideral

Tempo gasto por um planeta ou satélite para completar uma revolução em torno do seu corpo celeste primário, conforme é visto deste, e tendo uma estrela como referência.

período sinódico

Veja revolução sinódica.

período undecenal

Intervalo de onze anos característico do ciclo de atividade solar.

Pérola

Veja Alpheca.

Perrine, Charles Dillon  (1867-1951)

Charles Dillon PerrineAstrônomo norte-americano que descobriu Himalia e Elara, ambos satélites de Júpiter. Foi um dos primeiros diretores do Observatório Nacional de Córdoba e fundador da Astrofísica na Argentina.

perturbação astral

Marca superficial do planeta Júpiter, observada pela primeira vez em 1901, a qual se encontra nas latitudes austrais do planeta e tem um movimento de rotação superior ao dos outros objetos da mesma região.

Phact (Alpha Columbae)

A Rola, nome árabe que designa esta estrela.

Phecda (Gamma Ursae Majoris)

A Coxa, nome árabe para designar a estrela situada na coxa da Ursa Maior.

Pherkad (Gamma Ursae Minoris)

O Bezerro, nome árabe que, na época de Ptolomeu, indicava os dois bezerros.

Phoebe

PhoebePhoebe (SIX) é um dos menores satélites de Saturno e foi descoberto em 1898 por W. Pickering. Ele tem um raio de aproximadamente 110 km. Com uma forma quase circular e uma cor avermelhada, Phoebe está em órbita a 12.952.000 km de Saturno. Seu período orbital é de 550,48 dias terrestres. É interessante notar que Phoebe roda sobre seu eixo a cada 9 horas, ao contrário dos outros satélites de Saturno (com exceção de Hiperion) que sempre mostram a mesma face para Saturno.

Phurud (Zeta Canis Majoris)

A Única Brilhante, proveniente do árabe Al Furud, ou talvez por transcrição errônea de Al Kurud, o Macaco, referindo-se às pequenas estrelas que envolvem a constelação de Columba.

Piazzi, Giuseppe (1746-1826)

Astrônomo italiano que foi a primeira pessoa a descobrir um asteroide. Ele avistou Ceres, o maior entre os asteroides, em 1º de janeiro de 1801. Embora Ceres se assemelhasse a uma estrela quando vista através do telescópio (por isto o nome asteroide que significa "parecido com uma estrela") ele não conseguiu localizá-la no gráfico sideral de Lacaille. Isto fez com que Piazzi observasse Ceres durante diversos dias, confirmando que ele era um corpo celeste situado entre Marte e Júpiter.

Pitágoras (580-500 a.C.)

Matemático grego que acreditava que a Terra era uma esfera localizada no centro do Universo. Ele percebeu que o Sol, a Lua e os planetas seguiam determinados caminhos no espaço e acreditava que cada um deles situava-se numa esfera celeste.

planeta

Um astro escuro, sem luz própria, que gira em torno de uma estrela seguindo uma órbita elíptica. Os planetas que giram ao redor do Sol são: Mercúrio, Vênus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Urano, Netuno e Plutão.

planeta exterior

Veja planeta superior.

planeta extrasolar

Também abreviado para exoplaneta, são planetas que estão em órbita em torno de alguma estrela diferente do Sol. Estes planetas extrassolares são detectados observando-se a "oscilação" de suas estrelas que é causada pela atração gravitacional do planeta que a acompanha.

planeta inferior

Cada um dos planetas (Mercúrio e Vênus) cuja órbita é interior à órbita da Terra.

planeta interior

Veja planeta inferior.

planeta joviano

Qualquer um dos planetas gigantes.

planetas gigantes

Os planetas Júpiter, Saturno, Urano e Netuno.

planeta superior

Cada um dos planetas (Marte, Júpiter, Saturno, Urano, Netuno e Plutão) cuja órbita é exterior à órbita da Terra.

planeta telescópico

Planeta que só é observável através de um telescópio (Netuno e Plutão).

planeta telúrico

Cada um dos quatro primeiros planetas do sistema solar (Mercúrio, Vênus, Terra e Marte), que possui massa fraca e densidade média muito forte.

planeta vermelho

Marte.

pequeno planeta

Veja asteróide.

planetóide

Um outro nome para asteróide.

plano focal

Plano onde os raios luminosos que atingem uma lente ou espelho paralelamente convergem. No caso de sistemas divergentes o plano focal é virtual e fica do lado oposto.

plasma

Gás ionizado composto por pedaços de átomos. A medida em que o gás se aquece, as colisões contra outros átomos ou a forte radiação arrancam os elétrons de seus invólucros criando uma miscelânea de elétrons e núcleos expostos. Acredita-se que a maior parte da matéria visível do Universo exista sob a forma de plasma.

Plêione (28 Tauri)

Plêione, nome grego da esposa de Atlas e mãe das sete Plêiades.

Plutão

PlutãoO planeta mais distante do sistema solar, e cujo descobrimento foi anunciado em 1930 por Clyde W. Tombaugh, astrônomo norte-americano, após a série de pesquisas iniciadas pelo astrônomo, também norte-americano, Percival Lowell. Sua massa provavelmente equivale à da Terra, está situado a uma distância média do Sol da ordem de 40 vezes a da Terra, e completa o seu período de revolução em 249 anos.

Polar

Veja Polaris.

Polaris (Alpha Ursae Minoris)

Termo latino para designar a estrela mais próxima do Pólo Norte da esfera celeste.

Pollux (Beta Geminorum)

Nome latino de um dos filhos gêmeos de Leda, esposa de Tíndarus, rei de Esparta.

pólos geográficos

Os pontos de interseção entre o eixo de rotação da Terra e sua superfície.

pólos magnéticos

As partes de um ímã onde a ação magnética é maior. Aplica-se tanto aos polos de um ímã artificial como aos do ímã ''Terra''. Os polos magnéticos da Terra estão separados 20° dos polos geográficos.

poluição luminosa

As luzes das cidades, ou outro tipo de claridade, que interferem com as observações astronômicas.

ponto gama

Ponto onde se encontra o Sol no dia do equinócio de primavera. É o ponto da esfera celeste situado na interseção do equador celeste com a eclíptica, na qual o Sol (em seu movimento anual) passa de um hemisfério para o outro. Ponto vernal.

Pontos de Lagrangian

Cinco pontos em que um corpo celeste pequeno fica em equilíbrio quando está na companhia de dois corpos celestes de grande massa que orbitam um ao outro. Apenas dois destes cinco pontos são estáveis.

população sideral

Classificação das estrelas com base em suas idades. As estrelas do Tipo I são relativamente jovens e situam-se nos braços das galáxias espirais. As do Tipo II são mais antigas e se localizam no halo das galáxias.

Porrima (Gamma Virginis)

Nome latino da deusa da Profecia.

Portia

Portia é um satélite de Urano descoberto em 1986 pela sonda espacial Voyager 2.

posição geocêntrica

Posição de um astro, tomando como referência o centro da Terra.

posição heliocêntrica

Posição de um astro, tomando como referência o centro do Sol.

posição planetocêntrica

Posição de um astro, tomando como referência o centro de um planeta.

posição topocêntrica

Posição de um astro, tomando como referência um observador que está na superfície da Terra.

precessão

Tanto o Sol como a Lua exercem um puxão gravitacional sobre a Terra que afeta o seu movimento de rotação, uma vez que ela não é perfeitamente esférica. A Terra tem uma forma achatada nos pólos possuindo, portanto, um bojo equatorial. O puxão gravitacional do Sol e da Lua sobre este bojo gradualmente muda a orientação do eixo de rotação da Terra. A ação combinada da gravidade e da rotação fazem o eixo de rotação do nosso planeta traçar um círculo no céu, embora ela ainda permaneça inclinada em cerca de 23,5o em relação à perpendicular. A este movimento circular, realizado tanto pelo pólo norte como pelo pólo sul, damos o nome de precessão. A taxa de precessão da Terra é razoavelmente lenta. No ano 3000 a. C. o eixo de rotação da Terra estava apontando para próximo da estrela Thuban na constelação de Draco. Na época atual o eixo de rotação da Terra aponta para um local a cerca de 0,5o da estrela Polaris. No ano 14.000, a "estrela polar" será a estrela Vega, na constelação da Lyra. Levará cerca de 26.000 anos para o pólo celeste norte completar um círculo completo de precessão na esfera celeste.

precessão dos Equinócios

À medida que o eixo de rotação da Terra realiza a precessão, o plano equatorial da Terra também se move. Uma vez que o plano equatorial da Terra define a localização do equador celeste no céu, o equador celeste também tem uma precessão. As intercessões do equador celeste e da eclíptica definem os equinócios, de modo que estas importantes localizações na esfera celeste também se deslocam lentamente de ano para ano. Este fenômeno inteiro é chamado de precessão dos equinócios. Há 2.000 anos atrás o equinócio vernal estava na constelação de Áries. Hoje ele está localizado na constelação de Peixes e por volta do ano 3000 ele terá se movido para a constelação de Aquário.

primeiro quarto

Momento em que a Lua está no primeiro quarto de sua órbita. Muitas pessoas acreditam que "primeiro quarto" significa que apenas um quarto da Lua brilha, porém isto não é verdade. Durante o primeiro quarto, na nossa perspectiva, metade da Lua está iluminada.

Procyon (Alpha Canis Minoris)

Aquela Que Precede Sirius, palavra latina que indica que o nascimento de Alpha Canis Minoris anuncia o de Sirius.

Prometeus

PrometeusPrometeus (SXVI) é um dos menores satélites de Saturno e foi descoberto em 1980 por S. A. Collins e D. Carlson a partir de dados da sonda Voyager 1. Ele tem dimensões de aproximadamente 74 x 50 x 34 km e está em órbita a 139.353 km de Saturno. Seu período orbital é de 0,613 dias terrestres. Prometeus é um satélite pastor para a borda interna do anel F, um dos anéis planetários de Saturno.

Proplídeos

proplídeos em OrionSão discos de poeira e gás que permanecem em torno de estrelas recentemente formadas. Em vez destes discos serem dissolvidos quando a estrelas se forma, eles permanecem circundando as estrelas. Estas bolhas indistintas podem vir a ser "sistemas solares" em processo de formação. Acredita-se que os discos protoplanetários, ou "proplídeos", podem eventualmente evoluir formando planetas que permanecerão em órbita em torno da estrela.

Propus (Eta Geminorum)

O Pé Estirado, nome grego que procura indicar o fato de esta estrela estar situada no pé estirado de Castor.

Próspero

Satélite de Urano descoberto em 1999 por Holman, Kavelaars, Gladman, Petit, e Scholl.

Proteus

ProteusProteus é o segundo maior entre os satélites de Netuno e foi descoberto em 1989 pela sonda espacial Voyager 2. Embora ele seja maior do que Nereida, descoberto em 1949, não foi possível observá-lo antes porque, além dele ser muito escuro, ele está tão próximo de Netuno que se torna muito difícil distingui-lo no brilho intenso do planeta. Suas dimensões são de  218 x 208 x 201 km. Proteus tem uma forma irregular e sua superfície é salpicada com crateras de impacto. Ele está em órbita a 117.650 km do centro de Netuno. Este satélite escuro tem sua órbita circular situada logo acima da parte superior das nuvens de Netuno.

proto-estrela

Estágio inicial de uma estrela quando o gás e a poeira já se condensaram o suficiente para brilhar, porém ainda não começou a fusão.

protuberâncias

Massas brilhantes de gás, principalmente hidrogênio, situadas em cima da superfície brilhante do Sol. Somente podem ser vistas opticamente durante um eclipse total do Sol. Entretanto, modernos instrumentos permitem estudá-las a qualquer momento. Existem dois tipos principais de protuberâncias: eruptivas e quiescentes.

Ptolomeu, Claudius Ptolemaeus  (87-150)

Propôs um novo sistema geocêntrico para superar os problemas do modelo aristotélico, que não conseguia explicar o movimento retrógrado de alguns planetas. Pertence a Claudio Ptolomeu um dos mais importantes catálogos estelares, o Almagesto, uma fabulosa obra composta por 13 volumes e onde estão relacionadas 1.022 estrelas de 48 constelações, inclusive as quatro estrelas principais do Cruzeiro do Sul, na época pertencentes a constelação do Centauro.

Puck

PuckÉ um satélite de Urano e foi descoberto em 1985, pela sonda Voyager 2. Seu diâmetro é de aproximadamente 154 km e está em órbita a uma distância de 86.010 km de Urano.

pulsar

Fonte de rádio estelar emissora de impulsos de duração média de 35 milésimos de segundo, e que se repetem a intervalos extremamente regulares da ordem de 1,4 segundo, aproximadamente. O nome pulsar é oriundo da contração da expressão inglesa Pulsating radio source (fonte de rádio pulsante). Ver colapso gravitacional e estrela de nêutron.

 
Astromador - Astronomia para Amadores