....  

 Home  |  Astronomia  |  Sistema Solar  |  Universo  |  Especiais  |  Diversos

DICIONÁRIO DE ASTRONOMIA

A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z


nadir

É o ponto sobre a esfera celeste diametralmente oposto ao zênite de um observador.

Naiad

NaiadNaiad é um pequeno satélite de Netuno que foi descoberto em 1989, pela sonda espacial Voyager 2. Ele tem aproximadamente 58 km de diâmetro e está em órbita a 48.230 km do centro de Netuno.

Nair (Alpha Gruis)

A Brilhante, vocábulo árabe.

Naos (Zeta Puppis)

O Navio, vocábulo grego que designa a estrela situada na popa do Navio, antiga constelação austral.

NASA

National Aeronautics and Space AdministrationSigla de National Aeronautics and Space Administration (Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço), agência espacial norte-americana constituída em outubro de 1958.

Nashira (Gamma Capricorni)

A Sorte da Semeadura, nome árabe que alude à influência desta estrela nas atividades agrícolas.

Nath (Beta Tauri)

A Virgem, variante árabe de El Nath.

nebulosa

nebulosa RosetaNuvem concentrada de matéria interestelar. No início da astronomia, todo objeto fixo em relação às estrelas que parecia uma mancha difusa era chamado de nebulosa. Observações posteriores excluíram os aglomerados estelares e as galáxias. Quando as nebulosas apresentam um espectro contínuo, são chamadas nebulosas de reflexão; quando o espectro é de raias, são as nebulosas planetárias ou são as nebulosas difusas; e quando o espectro é não-luminoso (espectro de absorção) são chamadas de nebulosas escuras.

nebulosa planetária

Nebulosa brilhante, com o aspecto de um vasto envoltório gasoso, em torno de uma estrela muito quente, e em cujo espectro se encontram raias interditadas.

Nekkar (Beta Bootis)

O Bom Comedor, nome oriundo do árabe Al Nakkar.

Nereida

NereidaNereida é o satélite mais afastado de Netuno e foi descoberto em 1949, por Gerard Kuiper. Ele é o menor entre os dois maiores satélites de Netuno. Seu diâmetro é de aproximadamente 320 km. Nereida tem uma órbita muito elíptica, chegando a se aproximar de Netuno a 1.353.600 km, e em seguida começa a se afastar bastante, atingindo uma distância de 9.623.700 km. Com uma órbita tão extrema, Nereida leva quase um ano terrestre para realizar um movimento completo em torno de Netuno. Pode ser que Nereida seja um asteroide capturado.

Netuno

NetunoO oitavo planeta em ordem de afastamento do Sol, com órbita entre Urano e Plutão; tem 8 satélites (Tritão, Nereida, Proteu, Larissa, Galatéia, Dispina, Talassa e Náiade) e um sistema de quatro tênues anéis. Com um diâmetro de cerca de 50.000 km, completa a sua revolução em torno do Sol em 164 anos e 280 dias. Sua existência foi prevista matematicamente, em 1845, pelo astrônomo inglês John C. Adams e, independentemente, em 1846, pelo astrônomo francês Urbain J. Le Verrier, e confirmada por observação óptica, ainda em 1846, pelo astrônomo alemão Johann G. Galle.

Neujmin, Grigoriy N.

Astrônomo ucraniano; descobriu o asteroide 951 Gaspra.

neutrino

Partícula fundamental supostamente produzida em números maciços por reações nucleares nas estrelas. São difíceis de serem detectados, uma vez que uma expressiva maioria deles passa através da Terra sem interagir.

nêutron

Um dos componentes básicos do átomo, parecido com o próton, porém sem carga. Os nêutrons estabilizam o núcleo dos átomos reduzindo a repulsão que acontece entre os prótons. Os nêutrons são ligeiramente mais pesados do que os prótons. Eles sempre se localizam no núcleo (centro) dos átomos.

New General Catalogue

Durante o século XIX, William Herschel e seu filho John Herschel observaram e catalogaram aproximadamente 5.000 objetos não estelares fracos. Esta lista foi ampliada por J.L.E. Dreyer e publicada em 1888 como o New General Catalogue. Adições subsequentes foram feitas durante os 20 anos seguintes de modo que este catálogo e seus suplementos, quando terminado, listavam aproximadamente 15.000 objetos. Os astrônomos frequentemente se referem a estas galáxias e nebulosas pelos seus números NGC. Por exemplo, a nebulosa Caranguejo é chamada de NGC 1952.

Newton, Isaac  (1642-1727)

Físico, matemático e astrônomo inglês. Enunciou as leis fundamentais da Mecânica, decompôs a luz e emitiu a hipótese de sua natureza corpuscular, confirmada mais tarde. É um dos construtores do Cálculo Diferencial e Integral, particularmente nos problemas aplicados à Mecânica Celeste. Como astrônomo, sua maior contribuição foi a descoberta do princípio da Gravitação Universal, introduzindo o conceito de massa e completando os trabalhos de Galileu e Kepler. Criou o telescópio de reflexão (Newtoniano) e estabeleceu a verdadeira causa das marés, demonstrando também que os cometas eram objetos pertencentes ao Sistema Solar.

Nicholson, Seth Barnes  (1891-1963)

Astrônomo norte-americano que descobriu 4 satélites de Júpiter: Lisiteia, Ananke, Carme e Sinope. Ele também realizou importantes trabalhos sobre manchas solares e, junto com Edison Petit, conseguiu, a partir das medições de temperaturas de estrelas gigantes vizinhas, realizar as primeiras determinações de diâmetros estelares.

Nihal (Beta Leporis)

O Sedento, nome árabe dos camelos que matavam a sede no rio Erídano, da constelação da Lebre.

nodo

Pontos em que uma órbita cruza um plano de referência. Uma órbita possui dois nodos, o nodo ascendente e o nodo descendente, definidos a partir da orientação do plano de referência (definido onde é o norte e onde é o sul, em relação a este plano).

nodo ascendente

Nodo em que um corpo em órbita passa do hemisfério sul para o hemisfério norte.

nodo descendente

Nodo em que um corpo em órbita passa do hemisfério norte para o hemisfério sul.

Nodus (Delta Draconis)

O Nó, vocábulo latino para indicar, no corpo do Dragão, o segundo dos três nós existentes na representação deste monstro nas cartas celestes.

nova

Estrela que se tornou bruscamente muito luminosa. As novas aparecem subitamente. Brilham intensamente por alguns dias, enfraquecendo lenta e gradualmente até atingir o seu brilho primitivo. Em virtude da sua aparição brusca, elas foram denominadas "estrelas novas" ou simplesmente "novas". Conhecem-se dois tipos de estrelas explosivas: as novae e as supernovae. A luminosidade das novas é multiplicada por um fator de 10.000, durante 2 ou 3 dias, quando a sua magnitude absoluta no momento do máximo chega a -7. As supernovae se tornam ainda mais luminosas, o seu brilho é multiplicado por um fator 100 milhões de vezes superior ao brilho normal, podendo atingir magnitude absoluta de -15. Em cada ano descobre-se uma média de 5 novas. As supernovas são bem mais raras: uma a cada 300 anos. Até o momento se conhecem três supernovas observadas em nossa Galáxia: a estrela de Tycho (1572), a estrela de Kepler (1604) e a supernova dos chineses (1054) que deu origem à Nebulosa de Caranguejo.

Nunki (Sigma Sagittarii)

O Peito, nome árabe para localizar o peito da figura do Arqueiro.

Nusakan (Beta Coronae Borealis)

O Indigente, deriva da expressão árabe Kasat al Masakin, o lançador indigente, usado para designar a constelação entre os persas.

Nushaba (Gamma Sagittarii)

A Flecha, nome árabe para designar a estrela que está situada na flecha do Arqueiro.

nutação

Oscilação do eixo da Terra, em forma de S, provocada pela mudança no ângulo da inclinação axial. Esta alteração é provocada pelo efeito gravitacional da Lua na Terra, que faz com que esta última oscile como uma tampa que está sendo retirada. Esta mudança também ocasiona variações no período de rotação da Terra.

Nuvens de Magalhães

Duas galáxias pequenas e irregulares que orbitam a Via Láctea a uma distância de 160.000 anos-luz. Seus nomes foram dados em homenagem a Ferdinando Magalhães, o primeiro europeu a descrevê-las. Parece existir um fluxo de gás de hidrogênio conectando estas galáxias satélites à Via Láctea. A Grande Nuvem de Magalhães possui 1/30 da massa da Via Láctea e a Pequena Nuvem de Magalhães 1/200. A Grande Nuvem de Magalhães possui uma grande quantidade de poeira intersideral, ao contrário da Pequena Nuvem de Magalhães.

nuvem de Oort

Região do espaço semelhante a uma casca esférica, nos limites do sistema solar (e envolvendo o sistema solar), proposta em 1950 pelo astrônomo holandês J. H. Oort. A nuvem de Oort se situa entre 20 mil e 100 mil unidades astronômicas do Sol, e é o local de onde os cometas de longo período se originam.

 
Astromador - Astronomia para Amadores