....  

 Home  |  Astronomia  |  Sistema Solar  |  Universo  |  Especiais  |  Diversos

DICIONÁRIO DE ASTRONOMIA

A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z


B

Segundo tipo espectral das estrelas segundo a classificação de Harvard. Estrelas branco-azuladas, com temperatura superficial média de 21.000 K.

Baade Walter (1893-1960)

Nos anos 40, através da utilização do telescópio de 254 cm do Monte Wilson Baade descobriu que a distância até a Galáxia de Andrômeda era duas vezes maior do que se pensava. Isto fez com que os astrônomos duplicassem a escala que usavam para medir as distâncias intergalácticas (a distância entre galáxias), efetivamente dobrando o tamanho do universo. Baade tornou-se a primeira pessoa a tirar fotos de estrelas isoladas da Galáxia de Andrômeda. Também descobriu a existência de dois tipos de Estrelas, População 1 e População 2, cuja diferença está na quantidade de metais pesados que elas contém. As estrelas da População 2 são mais antigas e possuem poucos metais pesados,enquanto as da População 1 são mais jovens e contém uma quantidade maior de metais pesados.

Baham (Theta Pegasus)

Bestas, nome usado por Al Sufi que provém da expressão árabe Sa'd al Bahaim, ou seja, as boas sortes de duas bestas.

baricentro

Centro de massas elementares de um corpo. Centro de massa. O termo baricentro geralmente é aplicado ao sistema Terra-Lua.

Barnard, Edwar Emerson  (1857-1923)

E.E.BarnardAstrônomo norte-americano, um dos pioneiros da fotografia astronômica. Identificou a nebulosa de reflexão que rodeia as estrelas do aglomerado das Plêiades, em fotografia de 1883, e compilou um importante catálogo sobre nebulosas escuras em 1919. Depois de Galileu foi o primeiro observador a descobrir Amaltéia, uma lua de Júpiter. Ele também descobriu 16 cometas e, em 1916, a estrela de Barnard, o segundo sistema estelar mais próximo do Sol.

Barreira do Inferno

Toponômio pelo qual é conhecida a primeira base brasileira de lançamentos de foguetes, situada próximo as parais do município de Parnamirim, no Rio Grande do Norte. Em operação desde 1965, ocupa uma área de 18 Km2, proporcionado apoio técnico e operacional aos lançamentos de veículos de sondagem de pequeno porte.

Baten Kaitos (Zeta Ceti)

Barriga da Baleia, vocábulo proveniente da expressão árabe Al Batn al Kaitos.

Bayer, Johann (1572-1625)

Astrônomo alemão que criou um sistema, utilizado até hoje, de nomear as estrelas com letras do alfabeto grego e latino por ordem de luminosidade na constelação onde se encontram. Por exemplo, a estrela mais brilhante da constelação de Dragão seria Alfa de Dragão, a segunda Beta de Dragão, e assim por diante. Em 1603, publicou o primeiro atlas sideral, contendo mais de 2.000 estrelas, chamado "Uranometria".

Bean, Alan Lavern (1932)

Astronauta americano que pousou na Lua com a missão Apolo 12 e comandou a segunda estação espacial Skylab.

Beid (Omicron Eridani)

Ovo, provém do árabe Al Bais, ou seja, o ovo do ninho de avestruz. Veja Azha.

Belinda

BelindaSatélite de Urano descoberto em 1986 pela sonda espacial Voyager 2.

Bellatrix (Gamma Orionis)

A Guerreira, termo latino.

bendegó

Meteorito siderito octaedrito grosso e policristalino de 4.500 kg encontrado no sertão baiano em 1784 junto ao rio bendegó a 35 km da cidade de Monte Santo e 250 km do litoral da Bahia. Em 1888 foi exposto no Museu Nacional do Rio de Janeiro onde se encontra até hoje. Significa vindo do céu na língua quiriri dos índios da Bahia.

Bessel, Friedrich Wilhelm  (1784-1846)

Friedrich BesselPublicou a primeira medida de paralaxe, referente à estrela 61 Cygni. Astrônomo e matemático alemão, catalogou aproximadamente 50.000 estrelas e previu em 1840, matematicamente, a existência de um planeta depois de Urano. Bessel realizou muitas outras contribuições para a ciência entre elas ter imaginado que existiam estrelas escuras e, principalmente, ter inventado uma famosa função matemática, a função de Bessel.

Bethe, Hans Albrecht (1906)

Nascido em Estrasburgo, Alemanha, deu início ao moderno estudo da evolução estelar, ao sustentar que haveria um modo de as estrelas transformarem hidrogênio em hélio com liberação de grande quantidade de energia. Contribuiu para elaboração da teoria do Big-Bang e estudou a formação dos elementos químicos nos primeiros instantes do universo, além de conduzir diversos estudos sobre os raios cósmicos.

Betelgeuse (Alpha Orionis)

A Mão dos Gêmeos, nome que faz alusão à constelação dos Gêmeos e provém da expressão árabe iad-al-Gaouza que, por uma leitura incorreta, foi transcrita no ocidente como Betelgeuse.

Bianca

Satélite de Urano descoberto em 1986 pela sonda espacial Voyager 2.

Big Bang

Explicação mais plausível para a criação do Universo. Esta teoria, desenvolvida por Friedmann e Lemaitre no anos 20 e adaptada por Gamow nos anos 40, diz que o Universo foi criado a 15 bilhões de anos atrás quando a bola de fogo original contendo todo o espaço, tempo e matéria começou a se expandir. Esta teoria, é baseada na hipótese do Universo ser homogêneo (ou igual em toda parte) e nas teorias da gravidade de Einstein estarem corretas; ela é também referendada pela presença de radiação cósmica de fundo. Antes do Big Bang o Universo era insuportavelmente quente. A medida que ele começou a se expandir iniciou-se um processo de resfriamento. Atualmente a temperatura do Universo, medida pelo Explorador Cósmico de Fundo é de 2,276K.

binária eclipsante

Sistema de estrelas duplas no qual, visto da Terra, uma estrela passa em frente à outra. Durante a órbita o fluxo de luz deste sistema sideral varia de maneira uniforme. O eclipse primário acontece quando a estrela de brilho menos intenso passa em frente da mais brilhante, fazendo com que a luminosidade seja drasticamente reduzida. O eclipse secundário ocorre quando a estrela mais brilhante passa em frente da outra, reduzindo pouco a luminosidade. O tamanho destas estrelas pode ser determinado calculando-se quanto tempo uma estrela leva para passar em frente à outra. A estrela Algol, descoberta por Goodricke em 1782, foi a primeira a ser classificada como uma binária eclipsante.

binárias espectroscópicas

Estrela dupla cuja órbita é tão próxima à da companheira que não podem ser vistas em separado, mesmo com o auxílio de um telescópio. Quando uma das estrelas aproxima-se de nós, a outra se afasta, e, isto faz com que um dos espectros fique azulado enquanto o outro se avermelha. Em 1889, E.C. Pickering descobriu a primeira estrela binária espectroscópica: Mizar. Quando duas estrelas possuem brilho quase igual elas são chamadas de binárias de linha dupla.

Bode, Johann Elert  (1747-1826)

Astrônomo alemão conhecido pela "Lei de Bode", que procura explicar os tamanhos das órbitas planetárias. Em 1801 criou o primeiro mapa acurado de todas as estrelas que podem ser vistas a olho nu.

Bok, Bart J. (1906-1983)

Astrônomo americano, nascido na Holanda, conhecido pelos seus estudos sobre os glóbulos de Bok (pequenos glóbulos escuros de gás que se sobressaem num fundo claro) e a Via Láctea. Ele e Priscilla Bok popularizaram a astronomia quando escreveram "A Via Láctea", em 1941.

bólido

Meteoro muito brilhante. Algumas vezes um bólido pode se fragmentar ou explodir, e o som da explosão pode ser ouvido nas proximidades.

Bond, William Cranch  (1789-1859)

Um dos primeiros astrônomos americanos de renome; superou a pobreza e a falta de uma educação formal para tornar-se o primeiro diretor do Observatório de Harvard College, onde estudou Saturno e (com Lassell) descobriu Hiperion.

Bonner-Durchmusterung Katalog

Um dos primeiros importantes catálogos de estrelas foi produzido na Alemanha em meados do século XIX. O Bonner Durchmusterung foi constituído por F. W. Argelander, do observatório de Bonn. Este catálogo lista as posições de 320.000 estrelas. Quando usam este catálogo, os astrônomos se referem às estrelas pelos seus números "BD".

Borman, Frank (1928)

Comandante da missão Apolo 8, que orbitou a lua 10 vezes entre os dias 24 e 25 de dezembro de 1968.

Bradley, James (1693-1762)

Astrônomo inglês descobridor da nutação e da aberração da luz das estrelas.

Brahe, Tycho  (1546-1601)

Astrônomo dinamarquês, excelente observador, sustentou que todos os planetas, exceto a Terra, giravam em torno do Sol, que por sua vez orbitava ao redor da Terra.

brilho da Terra

Iluminação sutil da parte escura da lua crescente pela reflexão da luz do Sol na Terra. É a nossa própria luz refletida de volta pela superfície da Lua.

buraco de minhoca

Conexão no espaço-tempo entre dois pontos de um mesmo universo ou entre dois universos distintos, unidos por uma singularidade. O mesmo que ponte de Einstein-Posen.

buraco negro

1- Região do espaço-tempo intensamente curva que consiste em uma singularidade cercada por um horizonte de eventos.
2- Estado que a matéria atinge ao sofrer um colapso gravitacional na qual nem a luz nem a matéria ou qualquer outro tipo de sinal podem escapar. Esta região é formada quando o campo gravitacional se torna tão intenso que a velocidade de escape do campo aproxima-se da velocidade da luz.

buraco negro estelar

Envelhecimento de uma estrela que sofreu o esgotamento do seu combustível nuclear.

Burbidge, Eleanor Margaret (1922) e Geoffrey (1925)

Astrofísicos britânicos que em 1956, em conjunto com William Fowler e Fred Hoyle, descobriram que há a formação, através de fusão, de elementos mais pesados do que o hidrogênio nas estrelas. Esta afirmação contradizia a teoria anterior de que to dos os elementos teriam sido criados durante o Big Bang. Os Burbidge também notaram que os Quasares apresentam nuances vermelhas nas linhas de seus espectros, demonstrando que eles estão perdendo matéria. Além disso, Eleanor Burbidge utilizou a rotação das galáxias para calcular suas massas.

 
Astromador - Astronomia para Amadores